Memória Celular

Um estudo publicado na renomada revista cientifica Nature Neuroscience, comprovou que uma memória passa por até três gerações. Neste estudo os animais foram traumatizados e posteriormente cruzados, verificou-se que após três gerações os animais ainda tinham resposta traumática, mesmo sem nunca terem entrado em contato com o agente estressor. Estes animais apresentavam mudanças no número de neurônios do bulbo olfatório.

Sim, nosso corpo identifica eventos traumáticos, guarda na forma de memória celular e nossos sintomas estão diretamente ligados a isto.  Isto é epigenética.

Parental olfactory experience influences behavior and neural structure in subsequent generations